A princípio a segurança em condomínios é um dos motivos dos moradores optarem por residirem em condomínios, muitos desses locais oferecem um serviço completo aos seus residentes.

Sem dúvida a segurança em um condomínio é resultado de um conjunto de fatores que vão desde a estruturação da planta até a atuação do porteiro no dia a dia.

Certamente um condomínio seguro é um condomínio com regras rígidas, organização, cumprimento pleno das funções do porteiro, estudo antecipado dos arredores onde o condomínio será construído entre outras requisições.

Mas na prática a segurança em condomínios é violada, colocando todos os condôminos em risco!

Pessoas entrando e saindo a todo momento, encomendas sendo entregues, moradores pedindo ajuda com as compras e o porteiro mais atento ao celular do que ao ambiente.

Também é possível perceber falhas graves no layout no condomínio que ignoram pontos de risco do local, as possíveis zonas de risco da região, falta de um sistema de segurança e assim por diante.

Então nesse artigo vamos nos debruçar sobre os principais erros de segurança em condomínios para conscientizar moradores e profissionais de segurança. Dessa forma conseguiremos corrigir e elevar a segurança desses locais!

Os 4 principais erros de segurança em condomínios

segurança para condomínios

A primeira vista depois do espaço pronto com layout bem estruturado, favorecendo a segurança e com regras adequadas para o perfeito funcionamento do local, toda a segurança diária fica nas mãos do porteiro, tornando-o um guardião do condomínio.

Isto porque a portaria é o principal meio de entrada do condomínio, todos que precisam entrar no espaço, passam pelo porteiro.

Daí a importância deste profissional para a segurança efetiva do condomínio, por isso um porteiro atento, treinado/capacitado, motivado e cumpridor de regras do regimento interno é indispensável.

Mas devido a:

  1. Distrações: é um erro fatal, geralmente causado pelo uso de televisores, celulares ou quaisquer outros aparelhos eletrônicos que tiram o foco do profissional.
  2. desmotivação: um funcionário desmotivado sempre é um problema em qualquer função, pois faz com que a qualidade de seus serviços diminua. No entanto, quando se trata de um profissional de segurança como o porteiro, isso ganha uma gravidade ainda maior, porque coloca em risco a segurança do condomínio. Os síndicos do condomínio podem ajudar a driblar este problema, observando a rotina dos funcionários, estando atentos a qualquer sinal de insatisfação, conversando e estando dispostos a ouvi-lo.
  3. fadiga: mesmo que o profissional seja qualificado, esteja atento e motivado, o desgaste físico e mental é inevitável, por isso é de suma importância gerenciar a equipe de funcionários, buscando medidas efetivas que impeça esse desgaste para manter a segurança no condomínio em alta.

Esses problemas estão ligados a necessidades humanas e devem fazer parte do planejamento estratégico de segurança, pois há muitos estudos que comprovam que os estados emocionais influenciam na performance de um indivíduo.

Sendo assim é muito importante garantir que esses profissionais estejam inteiramente engajados, motivados e descansados para exercer a função.

Veja outros 4 problemas de segurança em condomínios!

1.  Não definir regras de funcionamento

Segurança em condomínios

Antes de mais nada as regras são a direção necessária para nortear as decisões e atitudes tanto dos profissionais de segurança como dos moradores.

Por isso, as regras devem estar no regimento interno do condomínio, devendo ser apresentada aos funcionários durante o treinamento.

Caso as regras sejam violadas, seja pelos moradores ou pelo porteiro, é papel do síndico utilizar este documento como base para tomar as atitudes necessárias.

 2. Deixar a portaria aberta é um risco para segurança em condomínios

Infelizmente esta é uma atitude comum, principalmente em condomínios que possuem um alto fluxo de pessoas. Mas essa atitude, aparentemente inofensiva, pode colocar em risco todos os moradores do condomínio.

O porteiro deve estabelecer um controle de entrada e saída de pessoas, esse é seu papel. Pois a ausência de supervisão por parte do porteiro facilita a entrada de desconhecidos que podem facilmente rendê-lo e causar problemas graves.

3. Realizar atividades que não fazem parte da sua função

Outro problema bem comum é a concessão por partes dos porteiros em realizar outras funções que não estão em sua designação.

Como exemplo, realizar pequenos favores aos moradores. Você já presenciou um porteiro fazendo um favor a um morador? Isso é muito gentil!

Mas esse desvio de função coloca em risco a segurança do condomínio.

Então é normal ver porteiros ajudando os moradores com as compras, manobrando um carro na garagem e até indo entregar encomendas e deliverys na porta dos moradores.

Contudo, enquanto eles fazem isso, quem fica na portaria, monitorando as câmeras, liberando o acesso das pessoas e carros?

4. Abandonar a portaria

Também é comum encontrar a portaria vazia, seja por que o porteiro está fazendo algum favor ao morador ou por que foi ao banheiro.

O ideal é que dentro da guarita tenha um banheiro para uso do porteiro para evitar que a mesma fique sozinha quando o profissional precisar usá-lo.

Sobretudo é importante que durante o planejamento das regras todas estas questões sejam levantadas e discutidas, para haver um equilíbrio entre as necessidades e obrigações do porteiro.

Sem dúvida existem muitos pontos sobre segurança em condomínios que merecem atenção.

Neste conteúdo enfatizei bastante a atuação do porteiro por que ele é o principal agente de segurança em condomínios, tudo passa por ele!

Mas também existe questões de segurança que se dão a estrutura do empreendimento como:

  • Muros e cercas devem ter altura mínima de 3,5 metros (com segurança eletrônica perimetral). Mas é preciso levar em conta que a altura adequada dos muros e cercas podem variar segundo o local e a existência de apoios que possam facilitar escaladas.
  • Sistemas de “passa volume” que impedem o ingresso de entregadores no condomínio.
  • Portões intertravados e duplos, tanto o social quanto o da garagem.
  • Guarita blindada, com boa visibilidade da garagem e da rua.
  • Levar em conta áreas de risco da região, como existência de praças públicas cheias de usuários de entorpecentes e traficantes de drogas, vias e avenidas com má iluminação entre outros fatores.

Espero que após ler este conteúdo algumas fichas tenham caído e que ao menos algumas posturas sejam realinhadas para proporcionar mais segurança em condomínios, a portaria remota V8 é uma excelente opção que blinda seus condôminos desses erros.

Precisando de uma consultoria de segurança no seu condomínio, solicite a visita gratuita de um Gestor de Riscos V8.

Compartilhe!

Acompanhe

NOTÍCIAS E NOVIDADES DA V8

Cadastre seu email e receba notícias da V8 Monitoramento.